sábado, 16 de Dezembro de 2017
bannerAbs

Notícias / Esportes

Como foi o Brasileirão do São Paulo: decepção, sufoco e salvação na reta final

05/12/2017

13h33



Fonte: globoesporte.globo.com

Decepção e sufoco. Essas duas palavras definem bem o desempenho do São Paulo no Campeonato Brasileiro. A equipe sofreu com as mudanças no elenco, trocou de treinador durante a competição e lutou quase que o tempo todo contra o rebaixamento. Por 14 rodadas, o Tricolor esteve no grupo das piores equipes da competição.

A salvação só veio nas rodadas finais do segundo turno, muito por causa do Profeta Hernanes, que chegou no meio do junho e foi o pilar da reação da equipe. O São Paulo terminou sua participação na 13ª colocação, a pior na era dos pontos corridos.

Quem foi o melhor jogador da temporada? E o pior? Qual foi o melhor e o pior jogo? E a revelação? O GloboEsporte.com analisa o 2017 do São Paulo no Brasileirão:

Melhor jogo
São Paulo 2 x 1 Santos - 28/10/2017 - 31ª rodada

No Pacaembu lotado e comandado por Hernanes, que deu duas brilhantes assistências, o São Paulo começou o clássico como um rolo compressor e, com 21 minutos, já vencia por 2 a 0, gols de Marcos Guilherme e Cueva. O Peixe diminuiu com Alison, mas o Tricolor manteve o controle da partida. No segundo tempo, poderia ter marcado o terceiro gol com Petros que, após mais um passe de Hernanes, acertou a trave esquerda de Vanderlei.

Com Rogério Ceni, o time também se destacou em um clássico, contra o Palmeiras, no Morumbi, pela terceira rodada. A vitória foi por 2 a 0, gols marcados por Lucas Pratto e Luiz Araújo.

Vitória épica
Botafogo 3 x 4 São Paulo - 29/07/17 - 17ª rodada

Dorival Júnior tinha apenas 15 dias no comando da equipe, que foi até o Rio enfrentar o rival comandado por Jair Ventura. O Tricolor saiu na frente com um gol de Cueva, mas levou a virada com dois gols de Marcos Vinícius. A equipe paulista teve a chance do empate, mas Cueva perdeu um pênalti. Na sequência, o Fogão fez o terceiro com Guilherme.

Faltando oito minutos, o São Paulo conseguiu o que parecia impossível e chegou aos 4 a 3, com gols de estreantes: um de Hernanes e dois de Marcos Guilherme.

O adeus, parte 1

Dia 2 de julho de 2017. O São Paulo perdeu para o Flamengo por 2 a 0, no Ninho do Urubu e, pela primeira vez no Campeonato Brasileiro, entrava na zona de rebaixamento. O resultado decretou a demissão de Rogério Ceni com apenas seis meses de trabalho. O ex-goleiro havia iniciado sua aventura no comando da equipe no orneio da Flórida. Mas as eliminações no Campeonato Paulista, na Copa do Brasil e na Copa Sul-Americana acabaram minando o seu trabalho.

Pior jogo
Fluminense 3 x 1 São Paulo - 18/10/17 - 29ª rodada

Quatro dias após conseguir uma grande vitória sobre o Atlético-PR, no Pacaembu, por 2 a 1, o Sâo Paulo voltou a campo, desta vez para enfrentar o Fluminense no Maracanã. Os titulares eram os mesmos e a expectativa era a melhor possível. Mas a equipe esteve irreconhecível. Com 23 minutos, já perdia por 2 a 0, gols de Henrique Dourado e Sornoza. No segundo tempo, Robinho fez o terceiro, e Shaylon, perto do fim, descontou.

Melhor jogador
Hernanes

O Profeta foi um dos reforços contratados no meio do ano. Campeão em sua primeira passagem, o meio-campista avisou em sua primeira entrevista coletiva que o time não seria rebaixado. Dentro de campo, o camisa 15 fez o time renascer no Campeonato Brasileiro. Nas 19 partidas que disputou, marcou nove gols (foi o artilheiro da equipe na competição) e deu três assistências.

Pior jogador

Dos 19 reforços contratados para a temporada 2017, pode se dizer que a maior decepção foi o atacante Denilson. Indicado por Rogério Ceni, surgiu como alternativa de velocidade pelas pontas. Mas nunca conseguiu se firmar. Disputou apenas 12 partidas e acabou dispensado antes do término do Campeonato Brasileiro.

Outro que termina o ano em baixa é Buffarini, que chegou até a jogar como titular com Dorival Júnior, mas acabou perdendo espaço após cometer muitas falhas. Sua última partida foi no dia 9 de setembro, contra a Ponte Preta. O defensor tem boas chances de ser negociado.

Destaque do Cartola
Hernanes

Ele não foi apenas o melhor do Tricolor paulista, mas também de todo o fantasy game. Terminou o ano com a melhor média do game – levando em consideração apenas quem jogou, no mínimo, 40% das partidas: 7,76 pontos em 19 jogos. Fez nove gols, deu três assistências e chegou a ser o melhor pontuador do game em agosto, quando somou 52,50 pontos.

Aqueles pontinhos....

A estreia de Dorival Júnior no São Paulo foi na partida contra o Atlético-GO, no Morumbi. Nada melhor do que estrear com uma vitória sobre o lanterna, certo? Errado! O Tricolor esteve duas vezes à frente, mas não conseguiu segurar a vantagem e amargou o empate por 2 a 2.

Uma rodada após vencer o Botafogo de virada por 4 a 3, os paulistas receberam o Coritiba em casa. Estádio lotado e a expectativa por mais uma vitória. Mas o time acabou perdendo por 2 a 1.

Em sua última apresentação no Campeonato Brasileiro, o rival foi o Bahia, também no Cícero Pompeu de Toledo. A equipe saiu na frente, mas não conseguiu segurar a vantagem e ficou no 1 a 1.

Se tivesse somado os sete pontos que deixou de ganhar nos jogos acima, o São Paulo teria fechado sua participação na competição com 57 pontos, o que lhe daria uma vaga na fase de grupos da Taça Libertadores da América de 2018.

Revelação
Brenner

O garoto começou o ano sendo destaque da equipe sub-17. Até a 11ª rodada do campeonato estadual da categoria, havia marcado 28 gols. Foi promovido ao profissional por Rogério Ceni e estreou na partida contra o Atlético-PR, em Curitiba. Teve seu contrato renovado, viu sua multa rescisória subir para R$ 160 milhões e disputou mais três partidas, sendo duas como titular.

O último domingo ficará marcado na memória do garoto. Disputou sua primeira partida como profissional no estádio do Morumbi e marcou o gol do empate por 1 a 1 com o Bahia.

O adeus, parte 2

Foram 213 apresentações, títulos e a idolatria de uma torcida apaixonada. No último domingo, Diego Lugano se despediu do São Paulo. Disputou apenas dez partidas em 2017. Mas todos enaltecem sua importância dentro e fora de campo, principalmente nos momentos de maior crise, de luta contra a zona de rebaixamento. Já recebeu convite da diretoria para permanecer no clube em outra função e pediu um tempo para pensar.

Análise

O São Paulo renasceu das cinzas para evitar o maior vexame de sua história. No primeiro turno, o time parecia não ter força para reagir. Mas a chegada de reforços importantes como Hernanes e Petros, somada a atletas que já estavam no grupo, como Jucilei, Cueva e Lucas Pratto e o trabalho do técnico Dorival Júnior deram uma nova cara ao time no segundo turno.

Para 2018, fica a lição: não adianta reformular a equipe no meio do ano como aconteceu em 2017. Manter a base, trazer reforços pontuais e apostar na base pode ser o caminho para a equipe voltar a ser protagonista no futebol brasileiro.

Veja também:
© Copyright 2012 BASTOS JÁ. Política de Privacidade | by designer - E.I.G Soluções