domingo, 22 de Julho de 2018
bannerAbs

Notícias / Regional

Tupãenses pagaram mais de R$ 19 milhões em impostos

12/07/2018

09h58

Por site do Jornal Diário de Tupã

Os tupãenses pagaram no primeiro semestre deste ano R$ 19.442.004,00 em impostos recolhidos ao município, Estado e União. O valor é 8,66% maior do que o montante pago no primeiro semestre do ano passado, com recolhimento de R$ 17.919.974,00. Os dados são do Portal Impostômetro, ferramenta mantida pela Acsp (Associação Comercial de São Paulo).

A carga tributária a nível nacional aumentou em 10% no primeiro semestre deste ano, em comparação com igual período do ano passado. No primeiro semestre de 2017, os brasileiros pagaram R$ 1 trilhão em impostos. No mesmo período deste ano, os brasileiros já pagaram R$ 1,1 trilhão em impostos. Com esse valor, é possível comprar 3 milhões de veículos da marca BMW ou 1 milhão de apartamentos no Jardim Morumbi, em São Paulo, por exemplo.

Pedágio

Vale lembrar a quem precisa viajar, que as tarifas de pedágio nas rodovias paulistas aumentaram 2,85% no último domingo, dia 1º de julho. O aumento vale para contratos de 19 concessionárias. O índice corresponde ao IPCA (índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) acumulado em 12 meses.

Foram reajustadas as tarifas das seguintes concessionárias: Autoban, Tebe, Intervias, Centrovias, Triângulo do Sol, Autovias, Renovias, ViaOeste, Colinas, SPVias, Ecovias, Concessionária das Bandeiras, Concessionária Auto Raposo Tavares, Concessionária ViaRondon, Concessionária Rodovias do Tietê, Ecopistas, Concessionária do Rodoanel S/A, Concessionária SPMar S/A e Concessionária Rodovia dos Tamoios.

ICMS

Estados e o setor de combustíveis também discutem a mudança do modelo de tributação do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) para uma alíquota única em reais por litro. A proposta, que pode suavizar os repasses das cotações internacionais às bombas, ganhou força após decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) que questiona o modelo atual.

A proposta já tem o apoio da área técnica do Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária, que reúne as secretarias estaduais de Fazenda), mas ainda depende de convencimento dos governos estaduais, que resistem em reduzir sua autonomia na cobrança de impostos.

Hoje, o ICMS sobre os combustíveis é recolhido nas refinarias e importadores, que atuam como substitutos tributários de distribuidoras e postos, estratégia para facilitar a fiscalização pelas secretarias de Fazenda.

O imposto é calculado sobre um preço de referência definido pelos governos estaduais, chamado PMPF (preço médio ponderado final), sobre o qual incidem alíquotas diferentes por estados e por produtos. Nesse modelo, cada Estado pratica suas próprias alíquotas.

Veja também:
© Copyright 2012 BASTOS JÁ. Política de Privacidade | by designer - E.I.G Soluções