sábado, 17 de Novembro de 2018
bannerAbs

Notícias / Esportes

Andrés não garante Jair Ventura em 2019 e diz que busca jogadores mais prontos no mercado

08/11/2018

16h12

Fonte: globoesporte.globo.com

Um dia depois de o diretor de futebol Duílio Monteiro Alves praticamente garantir a continuidade de Jair Ventura no Corinthians na próxima temporada ao GloboEsporte.com, o presidente Andrés Sanchez preferiu adotar um tom menos enfático em entrevista coletiva no CT.

Após tratar da penhora da taça do Mundial de Clubes de 2012, o presidente do Corinthians foi questionado sobre futebol. Perguntado se Jair está garantido em 2019, deixou a questão em aberto.

– Garantido nem eu estou, tem um monte de técnico sofrendo impeachment. Mas não é justo falar do Jair agora. Sabemos que tivemos problemas. Fora os erros de arbitragem, tivemos nossos erros também. O Corinthians é o time que menos teve pênalti, só perde para o Paraná. Não vamos colocar isso como desculpa. Nosso time não está bem, tem seis jogos para recuperar. Não vamos ser campeões, mas vamos trabalhar para sair dessa situação – afirmou.

– Jair é o treinador do Corinthians. Os números são baixos, ele sabe que está mal. Lógico que é ruim, ruim para ele, para mim. Todo mundo tem culpa, ele, eu, o jogador, o Duílio... – listou.

Neste sábado, o Corinthians faz seu último clássico da temporada, diante do São Paulo, às 17h (de Brasília), em Itaquera, em jogo que defenderá um tabu de nunca ter perdido para o rival em Itaquera. Para Andrés, porém, a equipe não entrará em campo com favoritismo.

– O São Paulo é favorito, estamos jogando mal nos últimos jogos. Mas time por time, estamos devendo para dois ou três no Brasil. Sem citar nomes. Estamos jogando fortemente. Temos média de 23 anos, tem que ter maturação. Está em momento ruim? Está. Mas ano que vem todos verão.

Sobre o ano que vem, Andrés Sanchez promete um time mais forte e experiente.

– Tem que vir jogadores mais prontos, mais certos. Estamos trabalhando nisso. Ano que vem o Corinthians vem forte. Nosso time não é tão medíocre como dizem.

Veja mais trechos da entrevista coletiva:

Volta de emprestados
– Temos 22 emprestados. Já tem os nomes que vão voltar. Os que a gente não conseguir emprestar vão ficar aqui. O que queremos são dois ou três desses emprestados. Volto a repetir para o torcedor, não vou pagar R$ 800 mil, R$ 900 mil, como tem clube pagando. Não vou fazer essa loucura novamente. Não posso trazer um jogador que não sei se vai dar certo por R$ 900 mil. Vamos trazer reforços, sim, mas com os pés no chão.

Sobre o VAR
– Sou a favor do VAR, mas votei contra pelo valor, que era o dobro do Campeonato Português. Quem nos explicou também não sabia como iria funcionar. Em que lance o VAR vai interferir? Como? Eu tenho que dar satisfação todo dia porque o time perdeu, foi mal, está perto do rebaixamento, mas o Coronel Marinho não fala nada. Ele tem que explicar porque está tendo tanto erro nesse ano. Mas eu sou a favor do VAR, não fui contra. Eu fui contra o valor e as coisas que falaram, nem o cara lá explicou direito. Tem o protocolo da Fifa, mas como? Vocês mesmo já reclamaram de decisões do VAR. Se o VAR for interpretativo, não tem porque.

Financiamento da Arena Corinthians
– Espero que nos próximos dias tenha uma novidade boa. Mas está tudo em dia com a Caixa, não estamos devendo nada, digo atrasado.

Balanço de 2018
– Em 2016, perdemos comissão técnica, vários jogadores. Em 2017, tivemos tempo e fomos campeões. No final do ano, perdemos jogadores, e em 2018 fomos campeões paulistas. Novamente perdemos jogadores, auxiliares, tudo. É normal que tenha problema. Trouxemos jogadores jovens, tivemos que antecipar etapas. Alguns que estão aqui não deviam nem ter estreado ainda. Apesar das dificuldades, fomos vice da Copa do Brasil. Acharam que iríamos ser massacrados pelo Flamengo e perdemos para o Cruzeiro por erros individuais. Quando tem dificuldade, volta forte no ano que vem, mas não vou pagar R$ 900 mil para jogador. No futebol brasileiro não cabe isso. Vou ganhar o título aí vão falar que atrasou pagamento, isso e aquilo. É difícil, futebol tem que ter tempo, não é do dia para a noite. Tem que montar time para vir forte.

Renovação de Danilo
– Isso eu falei para ele há um tempo atrás, que as portas estão sempre abertas. Se ele vai continuar aqui jogando, vai depender da comissão técnica. Ele é uma pessoa maravilhosa, só ajudou o Corinthians. Mas se vai jogar, depende da comissão. As portas estão sempre abertas.

Sobre o empresário do Pedrinho
– Traz a proposta, não chegou nada oficial, houve consulta e tudo. Há seis meses teve uma consulta mais forte. O Pedrinho não aceitou. Da China eu não recebi nada. Mas já falei: Corinthians só fica com jogador que quer ficar aqui.

CT da base e venda de naming rights
– Sobre o CT da base, a primeira fase está terminando no fim do ano. Até o ano que vem terminamos. Sobre naming rights, estamos trabalhando e correndo atrás para ter o mais rápido possível.

Omni
– Deixa eu falar uma coisa: a Omni. Estamos conversando com empresas para mudar. É importante, foi importante, mas estamos atrás de empresas multinacionais. A Omni nunca ganhou 50% em ingresso, era só sócio torcedor, porque ela paga a tecnologia, funcionário... Ela nunca teve participação em ingresso, que fique claro.

 

Veja também:
© Copyright 2012 BASTOS JÁ. Política de Privacidade | by designer - E.I.G Soluções