Fechar
Região

Arco-Íris: Produtores de mandioca iniciam preparo da terra

05 de Abril de 2020

09h07

Fonte: Diário de Tupã Online

Preocupados com os efeitos do coronavírus (Covid-19), produtores rurais do município de Arco-Íris já iniciaram o preparo da terra esperando conter os efeitos da pandemia na safra deste ano.

O secretário Municipal de Agricultura de Arco-Íris, João Serafim, afirmou que as máquinas já estão no campo preparando o terreno para o plantio.  “Por enquanto, os produtores estão preparando a terra. A partir do mês de abril e maio, muitos já iniciam o plantio da nova safra”, afirmou.

O secretário explicou que, neste ano, os produtores irão investir no cultivo da mandioca, aumentando a produção da raiz.  “Neste ano, o pessoal vai plantar bastante. Aqui na região, a plantação vai atingir uma área de 400 alqueires”, afirmou.

Serafim destacou que o preço da tonelada da mandioca apresenta variação em casos específicos, mas ainda é chamativo para alguns produtores. “O preço não está ruim. Está cerca de R$ 300,00 a R$ 390,00 a tonelada. Mas isso vai depender, conforme a renda”, salientou.

De acordo com Serafim, a colheita desta safra acontecerá no prazo de 10 a 12 meses. “A mandioca que estão arrancando agora, do prazo de um ano, teve uma produção de 60 toneladas por alqueire”, disse.

O secretário explicou que o clima atual está colaborando com o preparo da terra, o que poderá facilitar ainda mais a produção para os produtores rurais. “O clima está bom. Ontem (domingo) tivemos uma chuva aqui em Arco-Íris de 50 milímetros”, ressaltou.

Colheita

Devido às medidas para conter o coronavírus (Covid-19), alguns municípios tiveram restrições no transporte de trabalhadores rurais, especialmente no Paraná e em São Paulo. Esse cenário, segundo pesquisadores do Cepea, limitou o avanço dos trabalhos no campo, especialmente a colheita.  Enquanto a oferta está em queda, a demanda industrial permanece estável, uma vez que parte da indústria tem necessidade de reposição de estoques, seja por estratégia comercial ou para atender alguns pedidos, apesar do ritmo mais lento das atividades , destacou o Cepea. Quanto aos preços, a média nominal da semana, considerando-se a tonelada de mandioca posta fecularia, foi de R$ 379,23 (R$ 0,6595 por grama de amido, na balança hidrostática de 5 kg), queda de apenas 0,9% frente à média anterior.

Mercado

Diante das incertezas quanto aos impactos de possíveis paralisações generalizadas nas próximas semanas, devido ao coronavírus (Covid19), o mercado de mandioca esteve mais  eufórico  nos últimos dias. Do lado da oferta, agricultores intensificaram a colheita, temendo que as empresas interrompam suas atividades. O foco esteve nas lavouras com mais de 18 meses.

Além da preocupação com as atividades industriais, produtores têm necessidade de capitalização e de entrega de áreas de arrendamentos e também buscam minimizar as perdas de áreas que apresentam podridão.

No entanto, apesar da maior oferta, a demanda por matéria-prima por parte da indústria aumentou com mais força, segundo colaboradores do Cepea, o que sustentou as cotações da raiz.  Entre 16 e 20 de março, o preço médio da raiz posta nas fecularias foi de R$ 382,65 por tonelada (R$ 0,6655 por grama), aumento de 0,7% frente à média da semana anterior.