Fechar
Região

Motorista que teve o corpo queimado após roubo segue internado; acusado do crime foi preso e o carro recuperado

28 de Setembro de 2019

10h25

Redação Bastos Já – colaborou com informações Nilton Mendonça

É regular - estável o estado de saúde do motorista de 54 anos, morador em Piacatu (SP), que foi vítima de roubo e teve o corpo queimado por um bandido que fugiu levando seu veículo. O crime aconteceu em uma estrada rural e a vítima foi localizada em um posto de combustível instalado as margens da Rodovia Comandante João Ribeiro de Barros (SP-294), no trecho entre Tupã e o Distrito de Universo, na noite dessa sexta-feira, dia 27. O homem foi conduzido pelo Corpo de Bombeiros para atendimento médico na Santa Casa de Tupã.

A vítima contou que foi contratada para levar um homem de Piacatu para Parapuã. Durante a viagem foi rendido e colocado no porta-malas do carro. O motorista contou que percebeu que o ladrão parou em um posto e comprou combustível. Algum tempo depois o bandido estacionou o carro em uma estrada rural, retirou a vítima do porta-malas, jogou combustível sobre seu corpo e ateou fogo, fugindo em seguida com o veículo, um Gol, cor preta, placas EPD 0029 – Piacatu-SP. Mesmo com muitas queimaduras, o motorista conseguiu caminhar e chegar no posto as margens da SP-294, onde pediu ajuda.

Preso


Um morador de Tupã foi preso pela Polícia Civil, através de trabalho investigativo realizado pela DIG (Delegacia de Investigações Gerais), acusado de ter praticado o crime. A foto do acusado foi reconhecida pela vítima. O indivíduo foi preso em sua residência e teria confessado o crime e revelado que o carro estaria com um receptador na Penápolis. A Polícia Civil conseguiu recuperar o veículo e deter o receptador.

Foram 15 horas de trabalho incessante e brilhante para que a Polícia Civil, sob o comando da delegada titular da DIG, Milena Davoli Nabas de Melo, esclarecesse o crime, prendesse o acusado e recuperasse o veículo. A delegada, que esteve acompanhada pelo delegado Seccional de Tupã, Luiz Antônio Hauy, contou com apoio dos policiais civis Benites, Mandeli, Márcio Alexandre, Marsal, Márcio Jorge, Ulisses, Evandro Pardo e do delegado titular da DISE, Flávio Delgado de Melo "que não mediram esforços até dar essa resposta para a sociedade e prender o criminoso" ressaltou Milena de Melo.