Fechar
Esportes

Apoio dos amigos, parceria com Borja e gol: Deyverson comemora ‘’recomeço’’ no Palmeiras

13 de Março de 2019

13h19

Fonte: globoesporte.globo.com

Titular na vitória por 3 a 0 sobre o Melgar, na última terça-feira, Deyverson voltou a ser destaque no Palmeiras. Desta vez, um destaque positivo. Além de marcar o último gol contra os peruanos, em duelo da segunda rodada do Grupo F da Libertadores, o atacante teve bom desempenho e saiu de campo aplaudido.

Ausente do time desde o clássico contra o Corinthians, no dia 2 de fevereiro, quando foi expulso após cuspir em Richard, Deyverson superou uma quase transferência para o futebol chinês, com direito a críticas de parte da torcida, para voltar a brilhar pelo Palmeiras.

– Agradeço ao Felipão, que me deu mais oportunidades, ao Palmeiras e aos meus companheiros, que me abraçaram. Sei que cometi erros que não posso voltar atrás. É continuar trabalhando e me esforçando para não cometer os erros que cometi de forma grave. Sou um cara 220 por hora e muitas vezes acabo errando, mas hoje pode ser um grande começo. Sou muito grato aos torcedores também – disse o atacante.

– Passei por momentos difíceis quando cheguei, o pessoal não me conhecia muito e me criticou bastante. Nunca vou entrar em atrito com torcedor, porque o torcedor é apaixonado, ama o Palmeiras e torce pelo jogador. A crítica é normal. Se não tiver, o futebol fica chato. Sempre vou dar a vida, independentemente de acertar ou errar – completou.

Ao retornar ao time titular, Deyverson ocupou o lugar de Borja diante do Melgar. A relação entre os dois, porém, é muito boa. Tanto que o atacante fez questão de abraçar o colombiano ao comemorar o gol. Na saída do estádio, defendeu o companheiro das críticas recentes.

– O Borja vem fazendo grandes jogos, sofrendo pênaltis, ajudando a equipe. Fazer gol é só para quem tenta. Isso é normal do futebol, só erra quem tenta. O Borja meu deu um abraço, falou só para me preocupar em ajudar a equipe. É um grande irmão. Jogamos na mesma posição, mas temos uma grande amizade – afirmou.

– Ele não está passando por um momento de dificuldade porque sofre pênalti, dá a vida, corre pelos companheiros, está se esforçando. O gol é consequência. A gente conversa bastante. Ele me ajuda e eu ajudo ele. O Arthur (Cabral) também. Temos de nos abraçar no momento de dificuldade e de alegria – defendeu o camisa 16 do Verdão.

No próximo sábado, o Palmeiras volta a campo para enfrentar o São Paulo, às 16h30 (de Brasília), no Pacaembu, pela penúltima rodada da fase de grupos do Campeonato Paulista. Com Deyverson ainda suspenso – ele cumpre no clássico o último dos seis jogos de punição por causa da expulsão no Dérbi –, Borja deve ser novamente titular.