Fechar
Região

Tremor entre 2,4 e 2,5 de magnitude é registrado em Tupã

25 de Setembro de 2020

16h57

Fonte: Por Mariana Bonora*, G1 Bauru e Marília

A região de Tupã registrou um tremor de terra na noite desta quinta-feira (24). O evento foi registrado pelo Centro de Sismologia da USP e também pelo Observatório de Sismologia da Universidade de Brasília (UNB). A intensidade entre 2,4 e 2,5 de magnitude.

Segundo o técnico do Centro de Sismologia da USP, José Roberto Barbosa, que fez o registro do tremor, o fenômeno aconteceu às 21h49 e é considerado leve e corriqueiro.

“Quando ocorre em áreas descampadas, na zona rural, as pessoas não sentem tanto. No entanto, quando ocorre mais próximo da cidade, ainda mais durante à noite, quando tudo tende a estar mais calmo, algumas pessoas acabam sentindo”, explica.

No Observatório de Sismologia da UNB foi registrado um tremor de 2,5 localizado em Herculândia, que fica a 17 km de Tupã. Segundo o professor e chefe do observatório, Marcelo Peres Rocha, trata-se do mesmo evento e é normal essa variação na magnitude.

Ainda de acordo com dados do observatório, o evento foi registrado por quatros estações de sismologia. Ainda de acordo com Marcelo, o tremor é resultado da acomodação de placas tectônicas.

“O Brasil está no meio da placa sul americana e o tremor pode ser explicado porque a placa está sendo comprimida, existe uma placa que vem por baixo na região Andina e a própria placa sul americana sendo criada na região central do Oceano Atlântico. Esses dois eventos fazem com que a placa sul americana seja comprimida e em um momento essa compressão precisa ser liberada e quando ocorre o tremor. Esses movimentos acontecem em todo o continente e existem algumas regiões que são mais ou menos suscetíveis a essas ocorrências de tremores”, explica.

O tremor em Tupã gerou repercussão nas redes sociais. Moradores de diversos bairros da cidade relataram que sentiram o tremor de terra. "Moro no Casari, tremeu aqui também", contou um morador. "Percebi a janela balançar aqui na Marajoara", comentou outro usuário.

Alguns moradores contaram que não é a primeira vez que um tremor de terra atinge Tupã e outros comentaram sobre um forte barulho que pôde ser ouvido na cidade de madrugada. "Tive a impressão de que o teto estava vindo abaixo", admitiu um usuário.

Tanto a Defesa Civil como o Corpo de Bombeiros informaram que não houve solicitações de moradores em relação ao tremor desta quinta-feira.

Em julho de 2018, a região também registrou um tremor leve, de magnitude 2.8. Na época, um morador da cidade fez um registro ao vivo do fenômeno, que também foi sentido por moradores de Bastos e Herculândia.

Na época, o Corpo de Bombeiros de Tupã recebeu mais de 100 ligações de pessoas assustadas sem saber o que tinha acontecido.

O professor do Observatório da UNB explica que a região está suscetível a esse tipo de evento por estar em uma área que apresenta falhas geológicas.

“A região de Tupã fica no meio da bacia do Paraná e essa região tem um conjunto de falhamentos que não são possíveis de se observar da superfície e acaba sendo uma região que registra tremores, mas de magnitude baixa. Não há porque a população se preocupar, o que as pessoas podem sentir é algo semelhante quando um caminhão pesado passa pela rua faz o chão tremer. Sente mais quem está mais próximo dessa região de falha que a gente chama de epicentro do tremor", destaca Marcelo.