Fechar
Iacri

Eixo SP erradica centenas de árvores às margens da SP 294

12 de Março de 2021

06h08

Fonte: Jornal Tribuna Bastense

Na década de 1980 a Prefeitura de Iacri plantou centenas de árvores, a maioria frutíferas, nas duas margens da Rodovia Comandante João Ribeiro de Barros (SP 294), dentro dos limites do município. Agora elas estão sendo cortadas por empresas terceirizadas pela Eixo SP. A concessionária administradora da estrada afirma que a ação visa “a segurança dos usuários”.

As mangueiras, jambeiros, calaburas e ingazeiros que estão sendo erradicados ocupavam a maior parte de um trecho de aproximadamente nove quilômetros, dos dois lados da pista, entre Iacri e as imediações do distrito de Universo, que pertence a Tupã. As frutas resultantes da oferta generosa do arvoredo ao longo de quase quatro décadas atraíam muitos transeuntes, que interrompiam a viagem especialmente para saboreá-las e até para levar uma carga para casa.

Muita gente ficou indignada com o corte das árvores, que começou há cerca de 12 dias e está em andamento. A medida chegou a ser pauta de conversa informal entre os secretários de Meio Ambiente de Iacri, Paschoal Barbizan, e de Tupã, José Rodrigues, o Zé Vinagre. Mas ambos chegaram à conclusão de que está tudo dentro da legalidade e não há nada a ser feito em contrário.

Sondagem

Paschoal Brabizan recebeu tantas reclamações de moradores de Iacri que decidiu fazer uma sondagem in loco. “Conversei com o encarregado da execução do serviço no trecho que vai do trevo principal até o Posto de Iacri, e ele me mostrou a autorização da Cetesb (a agência paulista de meio ambiente) à BC2. Essa empresa terceirizada pela concessionária é responsável pela erradicação das árvores especificamente nesse trecho, de aproximadamente três quilômetros”.

O secretário de meio ambiente de Iacri contou ainda que o encarregado mostrou também parte do contrato de concessão firmado entre o governo estadual e a Eixo SP. “O contrato autoriza a concessionária a cortar árvores dentro da faixa de domínio da rodovia, que é de 25 metros de cada lado, a partir do centro da pista”, afirmou.

Risco

O próprio Barbizan reconheceu que, ao lado da pista, o arvoredo realmente representa risco aos usuários da SP 294. “No final do ano passado, por exemplo, um casal de idosos faleceu após o condutor perder o controle de direção do veículo, que se chocou com uma dessas árvores”, lembrou.

A Tribuna entrou em contato com a concessionária para saber o motivo da medida. Em resposta na quarta-feira (24), a empresa encaminhou por e-mail a nota a seguir:: “A Eixo SP Concessionária de Rodovias informa que as podas e supressões de árvores que estão sendo realizadas, dentro da faixa de domínio das rodovias, tratam-se de obrigação do contrato de concessão firmado, cujo objetivo é a segurança dos usuários. A concessionária esclarece também que a atividade está devidamente autorizada/licenciada junto aos órgãos competentes conforme a legislação vigente”.