Fechar
Região

Instituto Criminalista de Tupã completa 33 anos de atividade

27 de Julho de 2021

13h05

Redação Bastos Já – com informações cedidas por João Mário Trentini

O Instituto de Criminalística (IC) de Tupã, completa hoje, 27 de julho, 33 anos de instalação e atendimento prestado as comunidades de 11 municípios da região, incluindo Bastos e Iacri. O Instituto de Criminalística, que faz parte da Polícia Técnico Cientifica, tem por atribuição auxiliar a Justiça, fornecendo provas técnicas acerca de locais, materiais, objetos, instrumentos e pessoas, para a instrução de processos criminais, trabalho executado por peritos criminais que elaboram laudos a respeito das ocorrências cuja infração penal tenha deixado algum vestígio.

Arthur Pereira, chefe da secção técnica do Instituto de Criminalista de Tupã, destaca que é uma grande alegria e satisfação “noticiar que hoje, dia 27 de julho, o IC de Tupã completa 33 anos de atividade. Na época foi um trabalho árduo e, com a graça de Deus, conseguimos instalar o IC na cidade de Tupã, que, juntamente com o Instituto Médico Legal, o IML, faz parte da Polícia Científica. A equipe do IC atende todos os crimes elencados no Código Penal que deixa vestígios, como acidente de trânsito, arrombamento, homicídio, suicídio. Enfim, todo local de crime que deixar algum vestígio o perito criminal vai atuar para esclarecer o crime e se possível indicar quem é o autor e auxiliar o delegado de polícia, o promotor e o juiz na sua sentença”.

O chefe da secção técnica do IC de Tupã destaca que é um trabalho de grande responsabilidade. "Todos os funcionários trabalham com muita seriedade, pois vai produzir a prova material para que o juiz possa condenar ou absolver a pessoa envolvida no crime. É trabalho minucioso e para realizá-lo contamos com nove peritos criminais, quatro fotógrafos, dois desenhistas, um papiloscopista, um agente policial, além do pessoal de apoio. Quando o exame é mais complexo, contamos ainda com o Núcleo de Pericia de Bauru. Se necessário for encaminhamos o caso para nossa sede de São Paulo, como exemplo os exames de DNA. Quando a gente coleta algum material biológico no local de crime, encaminhamos para o Núcleo de Biologia de SP fazer o exame de DNA e o confronto com a base de dados para identificar o autor de um crime”.

Arthur Pereira ressalta a excelente estrutura que dispõe os funcionários do Instituto de Criminalística de Tupã. “Graças a Deus, a Superintendência e o diretor estadual do Instituto de Criminalística, Mauricio Lazzarini, tem muita preocupação no sentido de manter a instituição sempre bem aparelhada, e por isto temos viaturas boas, o nosso prédio é próprio e relativamente novo, tendo passado por reformas e ampliação, tudo voltado para que possamos oferecer um bom atendimento e dar um resultado satisfatório para a população”, finalizou o chefe da secção técnica do IC de Tupã.