Fechar
Esportes

São Paulo e Palmeiras abrem quartas da Libertadores com empate no Morumbi

11 de Agosto de 2021

01h09

Fonte: https://ge.globo.com

Tudo (quase) igual
São Paulo e Palmeiras abriram as quartas de final da Copa Libertadores com um empate por 1 a 1 na noite desta terça-feira, no Morumbi, mas o Verdão acabou em ligeira vantagem mesmo com a igualdade no placar. O Tricolor marcou primeiro com Luan, um dos heróis do título paulista contra o mesmo rival, mas Patrick de Paula empatou para o Verdão, que entrará em campo na próxima terça-feira podendo se classificar com um 0 x 0 no Allianz Parque. O duelo foi amarrado mais uma vez, como tem sido frequente em Choque-Reis de 2021 – incluindo as decisões do Paulistão e um polêmico empate sem gols pelo Brasileirão, há duas semanas. O próximo capítulo da rivalidade valerá vaga nas semifinais da Libertadores.

Como fica?
Palmeiras e São Paulo voltam a se enfrentar na próxima terça-feira, às 21h30 (de Brasília), no Allianz Parque. Como o gol fora de casa é critério de desempate, um 0 x 0 classifica o Verdão, enquanto empate superior a dois gols dá a vaga ao São Paulo. Novo 1 x 1 leva a decisão para os pênaltis. Se houver um vencedor no tempo normal, este, naturalmente, estará classificado.

Choque-Rei é com ele!
O volante Luan tem apenas três gols como profissional pelo São Paulo – agora dois contra o Palmeiras, e em momentos decisivos. Além de ter marcado na final do Campeonato Paulista, também no Morumbi, o volante abriu o placar nesta terça em chute sem chances para Weverton e colocou o Tricolor em vantagem. Apesar do empate, o São Paulo mantém a invencibilidade contra o rival em Libertadores: agora são nove jogos na história, sem nenhuma derrota.

Recorde ampliado
O empate no Morumbi leva o Palmeiras a 14 jogos sem derrota como visitante na Libertadores – um recorde absoluto e agora ampliado. São 10 vitórias e quatro empates no período que vem desde abril de 2019, quando o time foi derrotado pelo San Lorenzo, na Argentina. A manutenção da invencibilidade entra muito na conta de Weverton, que fez grandes defesas e evitou uma derrota alviverde fora de casa.

Primeiro tempo
As escalações mostraram os objetivos bem claros dos rivais: sem três zagueiros, com Léo na lateral esquerda e um meio-campo mais forte do que técnico, sem Benítez, o São Paulo tentou construir desde a defesa (teve 66% de posse de bola) e achar espaços diante de um fechado Palmeiras, que sem Gustavo Scarpa e Deyverson entre os titulares, teve Dudu, Breno Lopes e Rony como flechas para atuarem em contra-ataques e no erro do adversário. Primeiro, a estratégia tricolor foi mais efetiva: quando achou espaço, Daniel Alves fez lindo lançamento para Gabriel Sara finalizar e exigir boa defesa de Weverton – pouco depois, Rigoni finalizou/cruzou e viu o goleiro brilhar novamente. Já pelo Verdão, sempre jogadas em velocidade. Na melhor delas, Dudu pegou a defesa desarrumada após erro de passe no meio e deixou Breno Lopes na cara do gol. Sem saber se finalizava ou cruzava para Rony, não fez nenhum dos dois e mandou para longe. Numa segunda chance, novamente após lançamento de Dudu, Breno voltou a errar, atrapalhando-se na hora do chute. Bolas aéreas também foram opção ao Palmeiras: cabeçadas de Renan e Gustavo Gómez levaram algum perigo.

Segundo tempo
Wesley substituiu Breno Lopes no intervalo e foi mais efetivo que o companheiro logo de cara, criando lances pela esquerda com dribles e improvisação e preocupando Daniel Alves na marcação – consequentemente inibindo um pouco as subidas do camisa 10. Apesar disso, um vacilo defensivo custou caro: aos oito minutos, Rodrigo Nestor conseguiu finalizar duas vezes dentro da área para duas defesaças de Weverton. No segundo rebote, Luan, também livre, finalizou sem chances para o goleiro e abriu o placar: 1 a 0 São Paulo. A partir daí, Abel Ferreira lançou Luiz Adriano na vaga de Rony, mas não conseguiu posse de bola no campo de ataque. O Tricolor foi melhor e criou novas chances: com Liziero, em chute de primeira que passou perto, e com Gabriel Sara, em chute certeiro que exigiu (mais uma!) bela defesa de Weverton. Quando o Verdão parecia sem alternativas, encontrou a bola parada: Patrick de Paula, que havia acabado de entrar, cobrou falta com perfeição aos 28 minutos. Tiago Volpi não alcançou, e o empate foi decretado: 1 a 1, com o Palmeiras até mais efetivo na reta final.