Fechar
Região

Polícia Ambiental aplica multas de R$ 4 mil por pesca proibida em Queiroz

14 de Agosto de 2021

09h55

Redação Bastos Já

A Polícia Militar Ambiental de Tupã aplicou multas que somaram R$ 4.020,00 a dois homens flagrados pescando com petrechos - redes - não permitidos no Rio Caingangs, na área rural do município de Queiroz (SP), na noite dessa sexta-feira, dia 13. A ocorrência de natureza “pescar mediante petrechos não permitidos” foi registrada pelos policiais ambientais 2º sargento Santos, cabo Padovesi e cabo Glaucimir.

Por volta das 21h40, a equipe patrulha da Polícia Ambiental, com o 2º sargento Santos, cabo Padovesi e cabo Glaucimir, realizou vistoria de pesca no Rio Caingangs, em uma fazenda no Bairro Barreirão, e flagrou dois pescadores e encontrou no local um molinete e duas redes armadas no ambiente aquático. Em uma das redes havia um peixe morto da espécie piau-três-pintas, que pesou de 0,25kg e já estava morto.

Os policiais ambientais informaram que os pescadores realizavam a pesca amadora e o uso de redes, que é proibido para a categoria amadora profissional em rios, devido a largura das suas malhas. Uma das redes mediu 8,00 metros de comprimento por 1,5 metros de altura e malhas de 100 milímetros de largura e a outra 9,00 metros de comprimento por 1,8 metros de altura e malhas de 80 milímetros de largura.

Diante dos fatos foram lavrados dois autos de infração ambiental no valor de R$ 2.010,00 cada um, por pescar mediante utilização de petrechos não permitidos, incorrendo no disposto do parágrafo 1º, Inciso II, do artigo da Resolução SIMA 005/21. Os policiais ressaltam que os valores das multas foram majorados ao dobro em razão do cometimento da infração em período noturno, nos termos do Inciso II do artigo 7º da Resolução SIMA 005/21.

As redes foram apreendidas e depositadas na sede da Base Operacional da Polícia Ambiental de Tupã. O peixe foi pesado, fotografado e descartado pelo fato de estar impróprio para consumo humano. No âmbito penal, os policiais ambientais solicitaram a remessa de informações à Delegacia de Polícia Civil, por meio de Ofício, por in tese incorrerem em crime do artigo 34, parágrafo único, inciso II da Lei Federal 9.605/98.