Fechar
Região

Polícia Ambiental de Tupã prende morador de Universo por posse irregular de arma de fogo

12 de Setembro de 2021

07h54

Redação Bastos Já

Um morador de Universo, distrito do município de Tupã, recebeu voz de prisão da Polícia Militar Ambiental depois de ser flagrado mantendo em sua residência uma espingarda, com características de ter sido feita de forma artesanal, nesse sábado dia 11. No local também foram apreendidos outros equipamentos utilizados na fabricação de armamentos, segundo os policiais ambientais cabo Oliveira, cabo Arruda e cabo Torres, que registraram a ocorrência de “posse irregular de arma de fogo”.

A Polícia Ambiental informou que a equipe recebeu informação do cabo Martiniano de que um indivíduo residente em Universo estaria de posse de uma arma de fogo intimidando os moradores do bairro. Ainda segundo os policiais ambientais, imediatamente se deslocaram até a residência do indiciado que, ao ser cientificado sobre a denúncia, afirmou que fabricou uma espingarda para praticar ato de caça e autorizou a entrada da equipe na residência.

Durante vistoria no imóvel os policiais encontraram na dispensa, localizada na lateral da casa, a referida arma de fogo do tipo espingarda, com ferrolho e gatilho, cabo de madeira e aparentemente feita de forma artesanal. A arma não estava municiada, porém, foi localizado no imóvel 31 esferas de chumbo, 12 hastes de canos de ferro, serra, martelo, morsa, varetas de ferro, dentre outros equipamentos utilizados na fabricação de armamentos. A equipe destaca que não encontraram na moradia pólvora, nem espoleta ou munição.

Com a localização da arma de fogo, os policiais ambientais, com base no Artigo 12 da lei 10826/03 (Estatuto do Desarmamento), deram voz de prisão ao indivíduo, que foi conduzido, juntamente com a espingarda, materiais e equipamentos, até a Central de  Polícia Judiciária (CPJ) de Tupã onde o delegado Nelson Miguel Sorge Boaretti, após tomar conhecimento dos fatos ratificou a voz de prisão e deliberou pela elaboração do RDO 2377/2021, auto de exibição e apreensão e recibo de preso.

O delegado arbitrou fiança de R$ 370,00 para que o indiciado respondesse o processo em liberdade.