Fechar
Região

Fisioterapeuta é uma das três vítimas fatais de acidente na vicinal Adamantina - Mariápolis

18 de Outubro de 2021

22h25

Por: Siga Mais

O fisioterapeuta Patrick Eduardo Santos, de 37 anos, de Mariápolis, é uma das três vítimas fatais do acidente ocorrido no final da tarde desta segunda-feira (18) na Rodovia Adamantina/Mariápolis (SPA 592/294). Mais duas pessoas morreram na tragédia, que envolveu três veículos, sendo um deles o Hyundai HB20, conduzido pelo mariapolense.

A confirmação de que ele seria uma das vítimas fatais da tragédia sensibilizou moradores da cidade e região, sobretudo familiares, amigos e pacientes, e ainda populares. As manifestações são de comoção com a fatalidade, relatos de lembranças e pedidos de orações e apoio.

Em Mariápolis Patrick atuava como fisioterapeuta – atendendo no serviço público como também particulares – e empresário (Bar & Conveniência Amizade).  Na cidade tinha um amplo círculo de amizade.

A identificação das outras duas vítimas ainda não foi divulgada.

Relação com Adamantina

Em Adamantina Patrick Eduardo Santos cursou o ensino médio na Escola Técnica ETEC Prof. Eudécio Luiz Vicente, cursando em seguida o curso superior de fisioterapia no Centro Universitário UniFAI.

Segundo o colunista esportivo Jair Cabeça, Patrick integrou o elenco do futebol adamantinense na 45ª edição dos Jogos Regionais de 2008, realizados em Tupã. Ele e cerca de quatro ou cinco outros atletas, de Mariápolis, representam Adamantina na competição esportiva, na ocasião treinados pelo professor Rildo Xapuri.

A tragédia

De acordo com a Polícia Militar Rodoviária, o acidente envolveu três veículos de passeio: um Ford Verona com placas de Flórida Paulista, que tracionava um semirreboque, onde dois ocupantes foram relatados como vítimas fatais; um Hyundai HB20, com placas de Mariápolis conduzido pela terceira vítima fatal; e um GM Celta, com placas de Adamantina, que não derivou para feridos.

As circunstâncias do acidente deverão ser confirmadas somente após a perícia técnica, o que vai ser objetivo de apuração no âmbito da Polícia Civil, na tentativa de identificar eventuais responsabilidades.

A princípio, segundo a PM Rodoviária, o automóvel Ford Verona seguia no sentido Adamantina/Mariápolis e o HB20 em sentido contrário, quando houve a colisão. Já o automóvel Celta, que seguia no sentido Adamantina/Mariápolis acabou colidindo também. O Ford Verona partiu ao meio.

Desde o acionamento do policiamento e das equipes de socorro o local foi interditado para a passagem de veículos. Equipes da Polícia Militar, Polícia Militar Rodoviária, Corpo de Bombeiros, da Concessionária Eixo e ambulâncias de apoio atuaram no local.

O trânsito ficou interrompido para o trabalho das equipes e a área do acidente preservada para os peritos da Polícia Científica, para posterior remoção dos veículos e detritos e limpeza da pista.

O local e a posição final dos veículos e corpos são objeto do trabalho pericial, cujo laudo fará parte das investigações no âmbito da Polícia Civil, na tentativa de esclarecer a dinâmica do acidente e apurar eventuais responsabilidades. Os corpos das vítimas devem ser submetidos ao trabalho pericial pelo Instituto Médico Legal (IML).

A vicinal, que é um acesso da Rodovia Comandante João Ribeiro de Barros é um acesso da pista a Mariápolis (Acesso SPA 592/294). A extensão da via é administrada pela Concessionária Eixo SP. A denominação 592 se refere ao km do trevo principal de Adamantina.