Fechar
Esportes

Destino: Catar! Brasil despacha Colômbia, vence a 50ª na era Tite e vai à Copa de 2022

12 de Novembro de 2021

00h49

Fonte: ge.globo.com

Partiu Catar!
O Brasil já está na Copa do Mundo de 2022, no Catar – não que houvesse alguma dúvida sobre isso. A vitória da Seleção por 1 a 0 sobre a Colômbia, nesta quinta-feira, na Neo Química Arena, em São Paulo, foi a 50ª da era Tite e serviu para confirmar uma campanha irretocável nas Eliminatórias Sul-Americanas e carimbar a vaga em mais um Mundial. O time de Tite dominou as ações contra os colombianos – únicos que tiraram pontos da seleção brasileira nessas Eliminatórias – e chegou ao gol com Lucas Paquetá, na segunda etapa, após lindo passe de Neymar. Agora é comemorar a vaga, fazer ajustes nas últimas rodadas (incluindo o jogo contra a Argentina, terça que vem) e preparar a Seleção para, enfim, conquistar o hexa!

Como fica?
O Brasil chega aos 34 pontos, agora com 11 vitórias e um empate nas 12 partidas que disputou. Já a Colômbia se complica – fica em quinto, com 16 pontos, mas pode ser ultrapassada pelo Uruguai, que enfrenta a Argentina nesta quinta.

Fala, Paquetá!
Autor do gol que classificou o Brasil à Copa, Lucas Paquetá se emocionou e falou sobre o momento vivido na Seleção.

Que campanha!
Esta foi a 50ª vitória de Tite no comando da Seleção: também teve 12 empates e cinco derrotas no período. Já nas Eliminatórias, o Brasil de Tite tem agora uma invencibilidade de 24 jogos: 12 nas atuais, mais 12 nas prévias da Copa de 2018.

Primeiro tempo
Foram 45 minutos amarrados, com o Brasil tentando se armar pelo meio e furar as duas linhas de marcação da Colômbia – sempre muito próximas e sincronizadas. Com dificuldades para abrir o jogo pelos lados, principalmente com Raphinha na direita, a Seleção só se criou quando acelerou as jogadas – numa delas, Paquetá recebeu lançamento de Fred e tentou um voleio, que não saiu bem. Os colombianos atacaram pouco, mas com método: em velocidade, com toques curtos e chutes de longe – no melhor deles, Luis Díaz mandou de primeira, assustando Alisson. Em nova chegada pela ponta, Danilo chegou a acertar a trave. E no fim, Marquinhos, de cabeça, teve outra chance de abrir o placar.

Segundo tempo
Galvão Bueno já vem dizendo que “os meninos estão pedindo passagem”, e eles ajudaram a mudar o panorama da Seleção na segunda etapa. Logo no intervalo, Vini Jr substituiu Fred e passou a dar dor de cabeça aos colombianos pelo lado esquerdo do ataque. Também ganhando espaço, Antony e Matheus Cunha renovaram o fôlego ofensivo nas vagas de Raphinha e Gabriel Jesus. O Brasil não sofreu e jogou praticamente no campo de ataque, tentando construir com paciência. Mas foi na pressão e roubada de bola que o gol da vitória saiu, em apenas três toques: Marquinhos interceptou já no campo de ataque, Neymar ajeitou de primeira e Lucas Paquetá finalizou a gol, contou com uma ajudinha de Ospina e comemorou a classificação à Copa.

Novos objetivos
Classificado com cinco rodadas de antecedência, o Brasil agora tenta superar a melhor campanha das Eliminatórias no atual formato: é da Argentina de Marcelo "El Loco" Bielsa, que fez 43 pontos na classificatória para o Mundial do Japão e da Coreia do Sul, em 2002. A melhor campanha brasileira nesse formato de Eliminatórias foi em 2018, com 41 pontos. Com a vitória desta quinta, garantiu a classificação na 13ª rodada – com apenas 12 jogos, já que Brasil x Argentina foi suspenso.

Perrengue e homenagens
No reencontro da Seleção com a torcida em São Paulo, foram 22.080 torcedores na Neo Química Arena, para uma renda de R$ 7.111.200,00. No estádio, houve perrengue na entrada (muitos conseguiram acesso só com o jogo em andamento), homenagens a Marília Mendonça e invasões a campo no fim.

O que vem por aí?
A seleção brasileira agora se prepara para o clássico contra a Argentina, terça-feira que vem, às 20h30 (de Brasília), em San Juan. No mesmo dia, a Colômbia recebe o Paraguai às 20h, em Barranquilla. Os dois jogos são válidos pela 14ª rodada das Eliminatórias.