Fechar
Esportes

Em clássico brigado e polêmico, Argentina e Brasil ficam no zero a zero

16 de Novembro de 2021

23h51

Fonte: ge.globo.com

Zero a zero brigado!
Em um jogo marcado por cotovelada em Raphinha, carretilha de Vini Jr., muitas faltas e um Brasil superior, a seleção brasileira ficou no empate em 0 a 0 com a Argentina, no Estádio Bicentenário, em San Juan, pela 14ª rodada das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022. Já classificado para o Mundial do Catar, o time comandado por Tite foi melhor em campo. Fred acertou o travessão e Vini Jr. quase marcou. Messi, craque da partida, foi bem marcado por Fabinho e só levou perigo em chute aos 45 do segundo tempo. A Seleção recheada de jovens segurou a pressão (e a porrada) argentina e brochou a festa em San Juan. Com o empate, as duas seleções seguem invictas.

Argentina no Catar!
Apesar do empate, a Argentina conseguiu garantir sua vaga para a Copa do Mundo de 2022, no Catar, após o Chile ser derrotado pelo Equador.

Com o empate, o Brasil manteve a invencibilidade, a liderança e a distância de seis pontos para a vice-líder Argentina. São 35 pontos da Seleção Brasileira contra 29 dos argentinos. Na próxima rodada, a equipe comandada por Tite visita o Equador, no dia 27 de janeiro de 2022. A Argentina enfrenta o Chile na mesma data. CLIQUE AQUI e veja a tabela completa das Eliminatórias.

Não expulsou?!
Aos 33 minutos, o zagueiro Otamendi acertou uma cotovelada no meia-atacante Raphinha. O árbitro uruguaio Andres Cunha nem sequer marcou falta. O lance foi checado pelo VAR, comandado pelo também uruguaio Esteban Ostojich, árbitro da final da última Copa América, entre Brasil e Argentina. Mesmo após a revisão, nada foi marcado.

O brasileiro sofreu um corte no lábio e, mesmo sangrando, seguiu em campo. O jogador de 24 anos teve que levar cinco pontos na boca no intervalo da partida.

Argentina bate, e o Brasil...
No segundo tempo, Vini Jr. aplicou uma linda carretilha em cima de Molina. A jogada quase culminou em gol. Após o drible, o atacante conseguiu avançar na área e ajeitar para o chute de Paquetá atrás. E de lambreta eles entendem, como bem sabe Leandro Damião!

O primeiro tempo
Os primeiros 45 minutos foram muito equilibrados e pegados, como costuma ser o clássico entre Argentina e Brasil. Impulsionados pelos torcedores que lotaram o Estádio Bicentenário, os argentinos tomaram a iniciativa e chegaram a dominar os primeiros minutos da partida. Nas duas primeiras escapadas, Vini Jr recebeu duas bolas, aos 13 e 16 minutos, mas desperdiçou as oportunidades. Minutos depois, Matheus Cunha tentou um chute do meio de campo e mandou a bola perto do travessão. Aos 33 minutos ocorreu o erro de arbitragem na cotovelada de Otamendi. O meia-atacante brasileiro ficou com um sangramento no rosto até o fim do primeiro tempo.

O segundo tempo
A segunda etapa começou com um panorama parecido com o da primeira: iniciativa argentina, muita marcação dos dois lados e entradas duras. Mas a primeira grande chance veio aos 14 minutos, quando Fred aproveitou uma sobra de bola para finalizar da entrada da área, acertando o travessão. A dupla de zaga brasileira fez uma partida muito segura, assim como o volante Fabinho, que deu proteção ao sistema defensivo. Aos 26, Vini Jr teve mais uma oportunidade, quando recebeu na grande área, ajeitou para o pé direito e finalizou para defesa de Emiliano Martínez. Apagado, Lionel Messi teve sua primeira e única finalização da partida aos 44 minutos.