Fechar
Região

Polícia Ambiental de Tupã faz prisão por porte de arma e aplica multa por caça de animal silvestre

03 de Abril de 2022

09h20

Redação Bastos Já

A Polícia Militar Ambiental de Tupã deu voz de prisão a um homem porte Ilegal de arma de fogo e aplicou multas que somaram R$ 1.000,00 por caçar espécime da fauna silvestre nativa. A ocorrência foi registrada pelo cabo Piazentin, cabo Ravelli e soldado Vesu, com apoio do cabo Glaucimir, cabo Rodrigueiro e cabo Torres, e o fato aconteceu em uma vicinal que liga os municípios de Santópolis do Aguapeí e Rinópolis, nesse sábado (2).

De acordo com informações da Polícia Militar Ambiental, a equipe abordou um veículo Astra, que tinha acoplado um reboque com embarcação e adentrava em meio a um canavial, e neste momento surgiu um veículo Brasília transitando em sentido ao local da abordagem, más ao ver a viatura o motorista parou, engrenou marcha ré por aproximadamente 30 metros e arremessou pela janela uma espingarda e munições.

Ainda segundo a Polícia Ambiental, em seguida o motorista da Brasília, que estava com seu filho, engrenou marcha em direção a equipe, foi abordado e falou que iria caçar juntamente com seu amigo que estava no Astra, e tinha o intuito de matar uma capivara para comer. Os policiais ambientais localizaram a espingarda calibre 32, sete cartuchos de metal calibre 32 intactos e dois cartuchos 32 deflagrado.

Os policiais ambientais informaram que o condutor da Brasília revelou que a espingarda era de propriedade do motorista do Astra, que tinha saído em velocidade em sentido contrário, mais foi abordado a cerca de um quilômetro com o apoio da viatura A02409 e confessou que a arma era de sua propriedade. Durante revista veicular foi localizado quatro facas, uma foice pequena, uma lima e um instrumento tipo cacetete.

Os condutores de ambos os veículos foram apresentados na Delegacia de Polícia Civil de Santopolis do Aguapeí, onde o delegado ratificou a voz de prisão e arbitrou fiança no valor de R$ 1.212,00, que foi paga pelo autuado que solto para responder liberdade. A Polícia Ambiental elaborou autos de infração ambiental “Por caçar espécimes da fauna silvestre nativa”, no valor de 500,00 para cada infrator.

“É a Polícia Militar Ambiental na vanguarda do combate ao aquecimento global, por meio da conservação da biodiversidade alinhada ao desenvolvimento econômico sustentável”.