Fechar
Região

Polícia Civil : Operação em Herculândia e Quintana faz prisões e apreende drogas, cigarros e dinheiro

05 de Maio de 2022

09h44

Redação Bastos Já – com informações cedidas por João Mário Trentini

Operação desenvolvida em conjunto com a Polícia Civil de Herculândia e Quintana e Delegacia Seccional de Tupã resultou em duas prisões em flagrante e apreensão de grande quantidade de drogas, cigarros contrabandeados do Paraguai e dinheiro suspeito de ser oriundo da venda de entorpecentes. A ação policial foi realizada nessa quarta-feira (4) e contou com participação de policiais civis das unidades de Herculândia, Quintana e da Delegacia Seccional de Tupã, com apoio de policiais militares de Pompeia e da equipe Canil do Batalhão de Ações Especiais de Polícia Militar (Baep) de Marília.

O delegado Seccional da Polícia Civil de Tupã, Luiz Antônio Hauy, disse que operações como a de Quintana e Herculândia serão realizadas na região. "Trabalhamos sempre para o bem da população e contra todos os crimes, principalmente o tráfico de entorpecente que, infelizmente, se alastra por todo pais. Temos acompanhado ocorrências em todo Estado de São Paulo e este tipo de crime aumenta gradativamente com passar do tempo. Vamos realizar estas operações em todas as 11 cidades da sub-região da Delegacia Seccional de Tupã. Atuaram na operação 27 policiais, entre delegados, investigadores, agentes da policial civil e carcereiros, além de oito viaturas”.

O delegado de Polícia Civil de Herculândia, Eduardo Saran, revelou que a operação deflagrada nessa quarta-feira “é resultado de investigações que vinham sendo realizadas sobre crimes de tráfico de entorpecentes. Nesta data, com apoio de policiais civis de unidades da Delegacia Seccional de Tupã, na pessoa do Dr. Luiz Antônio Hauy, cumprimos sete mandados de busca domiciliares em Herculândia e dois em Quintana, e foi apreendido grande quantidade de drogas, cigarros provenientes do Paraguai e dinheiro, provavelmente da venda ilícita de drogas. Também foram lavrados dois autos de prisão em flagrante e termos circunstanciados”, concluiu.