Fechar
Região

Suspeito de matar homem a pauladas na cabeça em Rancharia entrega-se à Polícia Civil

20 de Maio de 2022

13h43

Fonte: Por g1 Presidente Prudente

O suspeito de matar um homem a pauladas na cabeça em Rancharia (SP) entregou-se à Polícia Civil na manhã desta sexta-feira (20).

Acompanhado de um advogado que atua em sua defesa, ele compareceu à Delegacia da Polícia Civil, em Rancharia, onde foi dado cumprimento ao mandado de prisão temporária já expedido pela Justiça contra o suspeito.

O suspeito vai passar por audiência de custódia e, se tiver a prisão mantida pela Justiça, será encaminhado para a Cadeia de Presidente Venceslau (SP), onde permanecerá por 30 dias à disposição do Poder Judiciário.

As investigações sobre o caso prosseguem para o esclarecimento das circunstâncias e das motivações da morte.

O crime aconteceu na tarde da última terça-feira (17), na Rua Amparo, no Conjunto Habitacional Ruy Charles.

Imagens da câmera de segurança de um estabelecimento comercial flagraram o momento do crime, por volta das 12h.

A gravação mostra dois homens correndo pela rua, um atrás do outro.

O suspeito acerta por trás uma paulada na cabeça da vítima, que cai e bate o rosto no chão, no meio da rua.

Em seguida, o autor desfere mais sete pauladas na cabeça da vítima e sai do local, com a aproximação de outras pessoas.

Após o crime, o suspeito fugiu e ficou foragido até a manhã desta sexta-feira (20), quando se entregou à Polícia Civil.

A defesa do suspeito divulgou uma nota de esclarecimento sobre o caso, na quarta-feira (18), na qual alega que seu cliente, de 35 anos, apenas defendeu a si mesmo e sua família "de um agressor, que não media as consequências de seus atos”.

De acordo com a nota elaborada pelo escritório Gimenez & Batista Advocacia, o suspeito, sua esposa e filhos, quando retornavam da cidade de Quatá (SP), por volta das 11h45, se depararam com seu sogro, pai e avô sendo agredido e na iminência de ser assassinado a golpes de facão pelo homem, também de 35 anos, que depois viria a se tornar a vítima do homicídio.

Segundo a defesa do suspeito, o homem que morreu era “conhecido nos meios policiais por ter uma vasta folha de antecedentes criminais, tendo inclusive passagens por tentativa de homicídio, e que havia deixado a penitenciária na semana anterior”.

Conforme a nota, primeiramente, ao tentar intervir na luta, a esposa do suspeito teve sua mão machucada pelo indivíduo. Em seguida, ao aproximar-se, o suspeito foi também atacado pelo homem, “que avançou em sua direção tentando golpeá-lo com facão, ocasião em que municiou-se com um pedaço de madeira, vindo a derrubá-lo e golpeá-lo, causando seu óbito”.

A defesa pontuou que tais acontecimentos ocorreram após o homem ter invadido a casa da cunhada do suspeito, “onde estavam ela e mais quatro crianças pequenas, ter agredido a cunhada e seu sogro, e ter se armado com um facão, dizendo inúmeras vezes que iria matar a todos”.

De acordo com a nota, o suspeito e a defesa “lamentam muito o falecimento, contudo, é preciso destacar que o senhor [nome do suspeito] apenas defendeu-se e defendeu sua família de um agressor, que não media as consequências de seus atos”.