Fechar
Região

Tupãense irá implantar usina mecanizada de separação de lixo que reduzirá impactos ambientais

27 de Maio de 2022

11h10

Por Ana Santoni – site Rádio Tupã

Por conta do impacto ambiental gerado pelos aterros sanitários, várias tecnologias têm sido desenvolvidas para minimizar os danos causados por esses espaços no país. Um exemplo desse trabalho são as usinas de separação mecanizada de resíduos sólidos que podem reduzir em até 70% tudo que é jogado fora.

A empresa do tupãense Lucas de Faveri trabalha com esse tipo de tecnologia desde 2013, e recentemente venceu a licitação para implantar uma usina de separação mecanizada de lixo que atenderá as cidades que compõem o Consórcio de Municípios de Mogiana.

"Participamos da concorrência por portal do governo federal. Foi a primeira concorrência para usinas de tratamento mecanizado de resíduos sólidos do Brasil", explicou o empresário, Lucas de Faveri.

A aquisição do equipamento custou o montante de R$7.045.000,00, e com isso, os lixões dos municípios que compõem o consórcio serão encerrados, gerando grande economia.

"Esse sistema reduz em até 70% o resíduo enterrado, como é o modelo atual, e através desse processo de mecanização, é possível recuperar embalagens para reciclagem", detalhou.

O empresário tupãense já teve diversos "cases de sucesso". Um exemplo é que desde 2021, a empresa de Lucas de Faveri desenvolve um projeto em parceria com o Ifood, para reduzir a quantidade de resíduos recicláveis que são jogados nas praias da orla carioca.

Além disso, um de seus objetivos é tornar o mundo em um lugar melhor para esta e as futuras gerações.

"O sentimento é de estar no caminho certo e ser contemporâneo no Brasil nesse segmento e de ser exemplo para tantos outros municípios e empresas", disse. O empresário saiu de Tupã e tem negócios no Brasil, Europa, África e Ásia. "Não importa

de onde você vem e sim de onde quer chegar", enfatizou.

Vale destacar que a mecanização no tratamento de resíduos no Brasil já é uma realidade e vem sendo buscada por gestores de municípios conscientes de suas obrigações com o meio ambiente e às leis que regem o segmento. Destinar resíduos a lixões ou transportar longas distâncias para aterros sanitários, além de ser um descaso com o dinheiro público, é contra a lei.