Fechar
Região

Queiroz (SP) endurece restrições para frear contaminações por Covid-19

28 de Maio de 2022

09h44

Por g1 Bauru e Marília

A Prefeitura de Queiroz (SP) publicou um novo decreto com medidas restritivas aos setores do comércio e prestação de serviços públicos para frear o avanço da Covid-19. Decreto foi publicado na quinta-feira (26) no Diário Oficial do município e já está valendo.

Segundo o decreto, ficou estabelecido à retomada da obrigatoriedade de uso de máscaras, para clientes e funcionários nas áreas internas de todos os estabelecimentos. Os responsáveis pelos estabelecimentos devem também se atentar para os seguintes fatores:

Evitar aglomerações em suas áreas internas e externas, organização e controle de filas nos estabelecimentos que possuam açougues, lotéricas e afins, realizando marcação no solo e espaçamento de 1,5 metros entre as pessoas;

Disponibilização de álcool gel 70% na entrada do estabelecimento;

Não permitir a entrada e permanência de clientes sem máscaras;

Proibida a realização de shows e eventos musicais, sem prévia autorização das autoridades sanitárias municipais;

Ficam permitidas as atividades em templos religiosos de qualquer natureza, podendo receber pessoas no quantitativo máximo de 70% (setenta por cento) de sua capacidade total, se respeitadas as regras de intensificação de assepsia, uso de máscaras obrigatório e distanciamento de ao menos 1,5 metros;

O descumprimento do decreto e das medidas sanitárias prevê penalidades. O decreto não tem prazo para ser revogado.

O último boletim epidemiológico divulgado pela Prefeitura de Queiroz apontou que são 1.009 casos positivos para a doença e 3 mortes confirmadas neste mês. O prefeito da cidade, Walter Rodrigo, positivou para a doença nesta sexta-feira (25).

Os números indicam um aumento de 41 novos casos entre 11 e 25 de maio. A cidade tem 3.640 habitantes.

Últimas restrições

Queiroz já havia decretado, no último dia 20 de maio, o uso é obrigatório para os servidores públicos e a população em geral para o ingresso e permanência nos órgãos e espaços públicos municipais. Na ocasião, a medida foi determinada para conter a contaminação pela Covid-19 entre os servidores públicos municipais.