Fechar
Região

Tupã: Sala de reuniões da Prefeitura terá nome do jornalista Valter Zômpero

26 de Abril de 2019

07h57

Fonte: Jornal Folha do Povo (Tupã)

A  partir do próximo dia 6 de maio, a hoje chamada “Sala de Reuniões” da Prefeitura da Estância Turística de Tupã, receberá uma nova denominação. O ambiente onde são feitas as coletivas de imprensa e anúncios da administração municipal, receberá o nome do jornalista “Valter Zômpero”, chefe de redação da Folha do Povo por várias décadas e que faleceu no dia 7 de fevereiro de 2014.

Militante do jornalismo, em Tupã e região, por cerca de 50 anos, Zômpero tem a memória lembrada também como “formador” de pelos menos duas gerações de jornalistas, a maioria atuando em Tupã e região, em vários locais do Brasil e até fora do país. 

A denominação de “Sala Jornalista Valter Zômpero” é resultado de uma indicação do vereador Capitão Neves cujo decreto foi assinado ontem pelo prefeito Ricardo Raymundo. Antes do “ato de assinatura”, que aconteceu justamente na sala que levará o nome de Zômpero – familiares e amigos do saudoso jornalista, participaram de um programa, que será exibido na noite de hoje pela “TV Câmara”. 

Ao final das atividades, o autor da indicação, vereador Capitão Neves, falou da homenagem prestada a um dos mais “expressivos profissionais da comunicação” de Tupã nas últimas décadas. Após a assinatura do decreto de homenagem ao jornalista Valter Zômpero, um de seus “aprendizes e pupilos”, falou em nome dos colegas, da experiência de ter convivido com o homenageado nas redações da Folha do Povo e Tribuna Bastense. 

Paulo Nakayama disse no programa Ponto de Vista da TV Câmara, que o aprendizado no cotidiano das redações “acrescentou muito” a sua vida, não apenas profissional, mas também como ser humano. Nakayama também destacou a importância dessa homenagem ser o “reconhecimento a memória de alguém” que foi importante para a história do município de Tupã e para a imprensa regional.

Valter Zômpero

Valter Zômpero nasceu aos 31 de julho de 1941, na cidade de Pederneiras, região de Bauru e em 1944 se mudou com a família para Tupã. “Seu Valter”, como era carinhosamente conhecido, foi um dos pioneiros do jornalismo em Bastos e Tupã e um dos grandes nomes da imprensa regional.

Ele iniciou a carreira no jornalismo em 1957, com apenas 16 anos, como redator do antigo Jornal de Tupã. Com grande dose de curiosidade, aliado ao gosto pela escrita e ao desejo de justiça, Seu Valter rapidamente mostrou que possuía todos os atributos de um grande jornalista.

Com seriedade, competência, ética, imparcialidade, determinação, responsabilidade, e acima de tudo, compromisso com a verdade, logo se firmou com um dos grandes nomes da imprensa local e regional. Profissional completo e extremamente versátil, ele sempre atuou com grande desenvoltura em todas as editorias, redigindo materiais policiais, políticas, econômicas e comportamentais.

Além do Jornal de Tupã e da Folha do Povo ele também atuou em vários outros veículos de comunicação, como Jornal de Quatá, Jornal de Bastos, A Época de Pompéia, Folha de Rancharia, Folha de Bastos e Tribuna Bastense. Também teve passagem pelo rádio, trabalhando como redator de programas jornalísticos na Rádio Piratininga (atual Rádio Tupã) e na Rádio Clube de Tupã.

A paixão por escrever também levou Seu Valter a se tornar poeta, respeitadíssimo, sendo autor de dois livros publicados: “Eu, você e o nosso amor” e “Fonte eterna de amor”.

Seu Valter também foi um incentivador do esporte, exercendo o cargo de Diretor do Bastos Esporte Clube (BEC), Diretor-Secretário do Tupã FC, da Liga Municipal Tupãense de Futebol, Liga Tupãense de Futsal, Academia de Box, e das equipes amadoras Belsom, ATEA e Ferroviários.

Grande mestre

Mais que um profissional competente, que ajudou a registrar a história de Tupã e região, através de suas reportagens, Seu Valter também ajudou a formal e lapidar inúmeros jornalistas, diplomados ou não. Compartilhando sua paixão e seu comprometimento com o jornalismo, ele ensinou a esses profissionais que a verdadeira formação de um jornalista só é possível no dia-a-dia das redações, no trabalho de apuração dos fatos, na correria diária para o fechamento das edições.

Reconhecendo a importância do trabalho realizado na imprensa local e regional, Seu Valter foi homenageado pelas Câmaras Municipais de Bastos, no ano de 2002 e de Tupã, em 2004. Com a morte de Valter Zômpero, em 2014, aos 72 anos de idade, Tupã e região perdem não só um dos grandes nomes da imprensa, mas também um dos profissionais mais apaixonados pelo jornalismo.

Casado com desde 8 de junho de 1969 até sua morte com Maria Gizélia da Silva Zômpero, teve três filhos, Valter Júnior, conhecido como Valtinho, Ana Maria e André Luiz, além de cinco netas Maria Eduarda, Izadora, Rafaela, Bruna e Laura.