Fechar
Esportes

Com VAR, invencibilidade recorde do Palmeiras no Brasileirão poderia ser ainda maior

31 de Maio de 2019

14h02

Fonte: globoesporte.globo.com

Depois de garantir classificação às quartas de final da Copa do Brasil na última quinta-feira, ao vencer o Sampaio Corrêa, o Palmeiras voltará no domingo a defender a liderança e sua série invicta no Campeonato Brasileiro ao visitar a Chapecoense, neste domingo, às 19h (de Brasília), na Arena Condá.

O jogo entre Chapecoense e Palmeiras terá transmissão ao vivo do Premiere para todo o Brasil com narração de Jota Júnior e comentários de Mauricio Noriega. O GloboEsporte.com acompanha em tempo real, com vídeos.

Já são 29 jogos sem perder na competição por pontos corridos, contando a edição de 2018. Uma sequência que poderia ser ainda maior se a tecnologia do árbitro de vídeo fosse utilizada desde a temporada passada.

Se estivesse em ação na última derrota do Palmeiras, em 25 de julho, o VAR poderia ter flagrado impedimento no único gol do Fluminense no Maracanã.

No momento da cobrança de falta de Marcos Júnior, Digão estava à frente do penúltimo jogador do Palmeiras. Na sequência, ele tem uma disputa pelo alto com Edu Dracena e a vê a bola sobrar para Gilberto finalizar de dentro da área.

A derrota custou o emprego do técnico Roger Machado – e toda a série invicta passa pelo comando do sucessor, Luiz Felipe Scolari, é claro –, mas, caso a partida tivesse terminado empatada, a derrota anterior naquela edição seria quase dois meses antes: 1 a 0 para o Cruzeiro, em 30 de maio.

Ao todo, em vez de 29 jogos sem perder no Brasileirão, o Palmeiras poderia estar invicto atualmente há 36 rodadas (contando duelos com Fluminense, Atlético-MG, Santos, Flamengo, Ceará, Grêmio e São Paulo).

Pelo VAR, série também pode ser menor
O mais recente dos jogos da série, a vitória por 1 a 0 sobre o Botafogo, em Brasília, neste momento não é considerado na classificação porque o clube carioca entrou com pedido de impugnação do resultado.

A queixa, que será julgada pelo Superior Tribunal de Justiça, se baseia em uma possível infração na utilização do VAR para a marcação do pênalti convertido pelo Palmeiras.

O Botafogo não contesta o pênalti marcado com auxílio da tecnologia, mas alega que, no momento em que houve a paralisação para a análise do lance, a partida já havia sido reiniciada.