Fechar
Esportes

Desfalques, lesões e planejamento ajudam a explicar crise de um São Paulo em constante mudança

31 de Maio de 2019

14h17

Fonte: globoesporte.globo.com

Prestes a completar dois meses no São Paulo, o técnico Cuca enfrenta sua primeira grande crise no clube. A eliminação para o Bahia nas oitavas de final da Copa do Brasil gerou pichações nos muros do Morumbi, confusão no desembarque do time e anúncio de protesto de uma das organizadas do clube para sábado, no CT da Barra Funda.

Sem fazer gols há quatro jogos, o São Paulo tem números vistos como preocupantes. É a equipe que em mais partidas saiu zerada entre as 20 da Série A no ano.

Até o primeiro duelo pela Copa do Brasil, a avaliação interna era de que o futebol apresentado vinha sendo razoável. Mas as derrotas para Corinthians e Bahia acenderam o sinal vermelho.

– Se a torcida está de cabelo em pé é com toda a razão. Ser eliminado como o São Paulo foi na Libertadores, primeira fase, é lógico que o torcedor fica "p" da vida. E os maiores responsáveis somos nós. Sou eu, quem escala, que põe as ideias em campo. O time está há quatro jogos sem fazer gols. Sou eu o maior culpado. Se tem que bater em algum, se tem que levar porrada, no bom sentido, o culpado sou eu – disse Cuca, na última quarta-feira.

Veja abaixo motivos que ajudam a explicar a crise do Tricolor:
Desfalques

No decisivo jogo contra o Bahia, o São Paulo não pôde contar com Luan (pancada no tornozelo direito), Liziero (entorse grave no tornozelo direito), Gonzalo Carneiro (suspenso preventivamente por doping), Rojas e Pablo (lesionados) e Antony (seleção olímpica). Desses, Luan, Liziero, Antony e Pablo eram titulares da equipe na reta final do Paulistão. Na primeira semifinal contra o Palmeiras no Morumbi, por exemplo, os quatro estavam em campo.

Time em formação

Em constante remontagem, o elenco do São Paulo sofrerá mais mudanças durante a parada para a Copa América. O clube contratou 11 jogadores e terá mais saídas. Bruno Peres, Jucilei e Nenê são alguns dos atletas que podem sair. Arboleda também deve ser negociado durante a janela internacional.

Principais reforços abaixo fisicamente

Hernanes e Alexandre Pato, as duas principais contratações do São Paulo no ano, jogavam na China. O volante sofreu com lesões desde o começo da temporada, e o atacante ainda busca a melhor forma física. O próprio Pato admitiu que não está 100%.

Troca de treinadores

Neste ano, o time foi comandado por André Jardine, Vagner Mancini e Cuca, atual técnico do São Paulo. As constantes trocas geraram mudanças de filosofia e atrapalharam a evolução da equipe. O comentarista do Grupo Globo Muricy Ramalho criticou o planejamento do clube.

E o que vem por aí?

Apesar da crise, o São Paulo não pensa em trocar o diretor-executivo de futebol Raí nem o técnico Cuca. A ideia é usar a parada para a Copa América para terminar a remontagem do elenco, acertar o fluxo de caixa e buscar uma reviravolta para o segundo semestre. Até lá, o time terá mais três jogos:

São Paulo x Cruzeiro, domingo, às 16h
Avaí x São Paulo, dia 8/6, às 21h
Atlético-MG x São Paulo, 13/6, 20h
Os 11 jogos do São Paulo sob o comando de Cuca:
Palmeiras 0 x 0 São Paulo - segunda semifinal do Paulista - (vitória nos pênaltis por 5 a 4)
São Paulo 0 x 0 Corinthians - primeira final do Paulista
Corinthians 2 x 1 São Paulo - segunda final do Paulista
São Paulo 2 x 0 Botafogo - 1ª rodada do Brasileirão
Goiás 1 x 2 São Paulo - 2ª rodada do Brasileirão
São Paulo 1 x 1 Flamengo - 3ª rodada do Brasileirão
Fortaleza 0 x 1 São Paulo - 4ª rodada do Brasileirão
São Paulo 0 x 0 Bahia - 5ª rodada do Brasileirão
São Paulo 0 x 1 Bahia - primeiro jogo oitavas de final Copa do Brasil
Corinthians 1 x 0 São Paulo - 6ª rodada do Brasileirão
Bahia 1 x 0 São Paulo - segundo jogo das oitavas de final da Copa do Brasil
Os números de Cuca no São Paulo:
11 jogos
3 vitórias
4 empates
4 derrotas
39% de aproveitamento
7 gols sofridos
7 gols marcados