Fechar
Esportes

Análise: Corinthians retoma ‘’velha tática’’, defende bem, mas volta a ter problemas para atacar

09 de Junho de 2019

15h27

Fonte: globoesporte.globo.com (clique aqui e leia a matéria no Globo Esporte)

A atuação ofensiva do Corinthians contra o Flamengo, pela Copa do Brasil, ficou no passado. O torcedor que se empolgou com a exibição da última terça-feira viu um Timão bastante diferente no empate sem gols com o Cruzeiro, sábado, no Mineirão, pelo Campeonato Brasileiro.

O técnico Fábio Carille admitiu na entrevista coletiva que não pensa em manter a estratégia agressiva no ataque que quase surpreendeu os cariocas. Fora de casa no Brasileirão, o treinador quer somar pontos para não se distanciar dos primeiros lugares e ainda sonhar com o título.

– O jogo do Flamengo propôs isso, a gente precisava correr atrás do resultado. Hoje (sábado), foi jogo de pontos corridos, tem sempre que somar. Ponto aqui é importante – afirmou Carille.

A exibição no Mineirão foi mesmo pensando em somar, ao menos, um ponto. O Corinthians se fechou em seu campo, deu a bola para o Cruzeiro e passou a esperar os contra-ataques. Mas eles não aconteceram.

Sornoza e Jadson tiveram desempenhos discretos. O mesmo aconteceu com Clayson, único jogador capaz de abrir espaços em velocidade. Toda a dificuldade refletiu em Gustagol, sumido na marcação da dupla formada por Léo e Dedé, uma das melhores do país na atualidade.

Mas o problema na construção das jogadas de ataque do Corinthians começa bem atrás. O Timão sofre muito para sair com a bola da defesa. Com os laterais marcados, Henrique, Marllon e Ralf não conseguem passes de qualidade.

Júnior Urso, Sornoza e Jadson são obrigados a voltar para auxiliá-los e assim ficam muito distantes do setor ofensivo. Quando chega ao campo rival, a equipe já se desorganizou ou perdeu força. Além disso, foram muitos passes errados na transição defesa-ataque em Belo Horizonte.

– É algo que está me incomodando muito e que vou trabalhar muito principalmente nessa parada – disse Carille, sobre os erros nos passes.

Se a criação preocupa, o Corinthians continua muito forte defensivamente. Quando a bola passou pela marcação, o goleiro Walter brilhou com pelo menos cinco boas defesas. São agora seis partidas sem sofrer gols – o último foi na derrota por 1 a 0 para o Flamengo, em Itaquera, pela Copa do Brasil, dia 15 de maio.

O Corinthians só levou algum perigo no segundo tempo em cabeceio de Danilo Avelar (em lance de bola parada) e em voleio de Gustagol. Os minutos finais foram ainda mais difíceis por conta da pressão do Cruzeiro. Walter, de novo, apareceu.

A entrada de Everaldo, jogador contratado para aumentar as opções de velocidade no ataque, serve de alento para Carille fazer a equipe aproveitar melhor os contra-ataques.

Isso, talvez, já possa ser visto na quarta-feira, no clássico contra o Santos, às 21h30, na Vila Belmiro. Mas não espere o Corinthians ofensivo...