Fechar
Esportes

Palmeiras melhora cobranças, e pênalti deixa de ser pesadelo sob comando de Felipão

09 de Junho de 2019

16h07

Fonte: globoesporte.globo.com (clique aqui e leia a matéria no Globo Esporte)

O pênalti convertido por Raphael Veiga não só garantiu a vitória por 1 a 0 sobre o Athletico, no último sábado, pelo Campeonato Brasileiro, como comprovou a melhora dos batedores do Palmeiras sob comando de Luiz Felipe Scolari.

Antes da chegada do treinador, em agosto de 2018, pênalti era um ponto negativo da equipe. Na temporada passada, o Palmeiras chegou a desperdiçar cinco pênaltis de forma consecutiva, com cinco jogadores diferentes.

O gol de Raphael Veiga no sábado foi a sexta cobrança convertida no tempo normal em 2019. Desde o início da terceira passagem de Felipão pelo clube, são 15 cobranças e apenas três desperdiçadas (duas delas nas primeiras semanas de trabalho): um aproveitamento de 80%, de acordo com dados do Espião Estatístico do GloboEsporte.com.

Pênaltis com Felipão no comando:

2018

05/08 - América-MG 0 x 0 Palmeiras (Brasileiro) - Jean - Defesa do goleiro
22/08 - Palmeiras 2 x 0 Botafogo (Brasileiro) - Dudu - Defesa do goleiro
05/09 - Palmeiras 2 x 0 Athletico-PR (Brasileiro) - Moisés - Gol
30/09 - Palmeiras 3 x 1 Cruzeiro (Brasileiro) - Gustavo Gómez - Gol
03/10 - Palmeiras 2 x 0 Colo-Colo (Libertadores) - Borja - Gol
21/10 - Palmeiras 2 x 1 Ceará (Brasileiro) - Bruno Henrique - Gol
31/10 - Palmeiras 2 x 2 Boca Júniors (Libertadores) - Gustavo Gómez - Gol
18/11 - Paraná 1 x 1 Palmeiras (Brasileiro) - Gustavo Scarpa - Gol

2019

23/01 - Palmeiras 1 x 0 Botafogo-SP (Paulista) - Bruno Henrique - Defesa do goleiro
11/02 - Palmeiras 2 x 0 Bragantino (Paulista) - Gustavo Scarpa - Gol
09/03 - Mirassol 1 x 1 (Paulista) - Gustavo Gómez - Gol
26/03 - Mirassol 5 x 0 (Paulista) - Gustavo Scarpa - Gol
26/03 - Mirassol 5 x 0 (Paulista) - Dudu - Gol
25/05 - Botafogo 0 x 1 Palmeiras* (Brasileiro) - Gustavo Gómez - Gol
08/06 - Palmeiras 1x0 Athletico-PR (Brasileiro) - Raphael Veiga - Gol
* A partida entre Botafogo e Palmeiras ainda será julgada pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) e, por ora, não é contabilizada pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF)

A série não inclui a disputa por pênaltis perdida na semifinal do Campeonato Paulista, quando o goleiro do São Paulo pegou uma cobrança de Ricardo Goulart e outra de Zé Rafael.

Para superar as dificuldades, o Palmeiras também testou novos cobradores. Como o zagueiro paraguaio Gustavo Gómez, que converteu as quatro cobranças desde que foi contratado, no ano passado.

Segundo o treinador, porém, há uma ordem bem estabelecida.

– Não se esqueçam que a gente treina, e temos as definições. Com o Scarpa em campo, é o Scarpa. Se não tem o Raphael, é o Bruno Henrique. Já está tudo definido, naqueles batedores que a gente passa antes do jogo – disse Felipão, depois da vitória sobre o Athletico.

Veiga era o próximo da lista
Diante da equipe paranaense, sem Scarpa (na reserva) e Bruno Henrique (substituído no intervalo) em campo, Raphael Veiga, que havia saído do banco, assumiu a cobrança aos 34 minutos do segundo tempo.

– Eu treino pênalti, estava confiante para bater independente do time que era. Quando eu entro eu quero fazer gol, quero ajudar, então eu acho que foi pela minha confiança para bater o pênalti – disse o meia, que não viu problema por estar diante de um ex-time.

– Pênalti é muito de treino, mas também de sangue frio. No futebol a gente tem que assumir riscos, e o risco de fazer o gol tem que assumir e para perder também. Eu tenho aprendido a assumir cada vez mais esse risco e estou colhendo o fruto.

Com a vitória, o Palmeiras foi aos 19 pontos, com um jogo a menos (a partida contra o Botafogo ainda será julgada pelo STJD, a pedido do clube carioca, que entende irregularidade no uso do VAR), e segue na liderança do Campeonato Brasileiro.